Problema da falta de água em Cuibá se estendera no minimo por mais 6 meses, afirma Mendes

"Com a falta de água, a incidência de ar nas tubulações aumenta consideravelmente elevando o preço da conta de água, clientes que não contam com proteção em sua rede como o bloqueador de ar Great Light instalado em seus hidrômetros terão surpresas desagradáveis em suas próximas faturas. Afirma o Sr. Odilon Junior diretor técnico da empresa Great Light, fabricante dos bloqueadores de ar."


O problema da falta de água na Capital de Mato Grosso, que não foi solucionado pela CAB Cuiabá em 4 anos, será resolvido dentro de 6 meses com a empresa sob intervenção da Prefeitura de Cuiabá. Segundo o prefeito Mauro Mendes (PSB), será preciso um investimento de 44,8 milhões para implantar 2 Estações de Tratamento (ETAs) nos bairros Coophema e Ribeirão do Lipa.

O valor será utilizado para a construção das estações e outros 22 quilômetros de adutoras que são os encanamentos responsáveis pela distribuição da água tratada. As informações foram repassadas pelo prefeito em coletiva de imprensa para apontar o balanço parcial dos trabalhos realizados no primeiro mês de intervenção.

No estudo elaborado nesses primeiros 30 dias de intervenção na empresa, foi constatado que a CAB Cuiabá sabia que para solucionar o problema da falta d’água, principal queixa da população cuiabana colocando a empresa no primeiro lugar no ranking de reclamações no Procon, deveria investir na construção das 2 ETAs. “Isso só não foi executado por uma decisão política da empresa”, afirmou Mauro Mendes ao explicar que ao invés de ampliar as 2 sistemas de tratamento e distribuição, que resolveria a falta d’água, a CAB priorizou outras questões.

Conforme o prefeito, a CAB optou por investir na colocação de hidrômetros nas residências e não colocou em prática um política de combate ao desperdício da água tratada, cujo índice está próximo dos 70%, Ou seja, mais da metade da água tratada é desperdiçada no caminho e não chega às residências. “Está muito claro que ainda temos um grave problema de produção e distribuição de água com 67% de perdas quando ela é colocada na rede. Temos indícios e eventos claros em vários locais da cidade que falta de água”, sustentou Mendes ao explicar que esse trabalho de redução das perdas é tem efeito imediato.

Segundo ele, o relatório de auditoria deixa claro que a empresa não adotou mecanismos para solucionar o problema. “A empresa não conseguiu reduzir isso, essa foi uma das metas descumpridas que constam no contrato. Hoje o desperdício deveria estar em 55%”, ressaltou Mendes.

Arrecadação aumentou

Já sob a intervenção da prefeitura e tendo o secretário do Obras Públicas, Marcelo Oliveira, como interventor, a CAB Cuiabá arrecadou R$ 15, 286 milhões no mês do maio. Mauro Mendes afirmou que isso é “um record absoluto”, pois segundo ele, a empresa que assumiu a concessão dos serviços de água e tratamento de esgoto na capital em 18 de abril de 2012, nunca arrecadou tal valor durante durante os 4 anos.

Na avaliação do prefeito e do interventor, a população compreendeu os motivos da intervenção e acreditou que o problema da falta d’água será solucionado já que a CAB enquanto estava sendo dirigida por seus executivos não foi capaz reduzir o desperdício e levar água a todas as residências da Capital. “Por isso aumentaram os pagamentos”, disseram.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo